Ir para o conteúdo principal

Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação. Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os termos e condições de privacidade.

A partir de 27 de junho de 2017, a Intrum Justitia e a Lindorff uniram-se para criar a maior empresa de serviços de gestão de créditos no mundo.

Para mais informações, pode ler aqui por favor

Dia Internacional da Familia

Pais portugueses acreditam que vão continuar a ter de ajudar filhos depois destes sairem de casa.

No dia em que se comemora o Dia Internacional da Família, a Intrum Justitia revela os últimos dados de um inquérito realizado a mais de 20 mil cidadãos, em 21 países, e de acordo com as conclusões apresentadas 46% dos entrevistados nacionais acredita que vai precisar de ajudar financeiramente os seus filhos, mesmo quando estes saírem de casa, 29% confessa que por razões financeiras os seus filhos não podem sair de casa tão cedo como desejariam e 27% defende que os seus filhos vão ter maiores dificuldades financeiras do que eles.

Mais de 29% dos jovens com idade inferior a 35 anos afirmam que a sua situação financeira os obrigou a regressar para junto dos pais, de acordo com os dados agora apresentados.   Grande parte dos entrevistados dos pais portugueses (95%) tenta ensinar os seus filhos a gerir o dinheiro, registando a taxa mais alta dos países analisados. Além disso, 86% defende que as crianças deveriam aprender mais sobre economia nas escolas.

As finanças afetam igualmente a vida conjugal. Assim, 20% dos casais inquiridos em Portugal afirma que as razões económicas são um dos motivos para manterem ou prolongarem o seu relacionamento, um valor ligeiramente menor do que o verificado no ano passado (24%).   De acordo com Luís Salvaterra, Diretor Geral da Intrum Justitia,“ os jovens precisam de aprender a gerir as suas finanças pessoais, e esta é uma responsabilidade das famílias e das escolas, que desempenham um papel fundamental na transmissão de conhecimentos e que podem e devem incluir esta temática. Um dos papeis das familias e das escolas passa, deste modo pela preparação adequada das crianças e dos jovens para a possivel realidade económica complexa que vão encontrar na sua vida adulta”.

Assumir a responsabilidade pelas finanças pessoais e consumir com moderação, juntamente com a plena compreensão das consequências de uma dívida, são questões muito relevantes e têm de ser transmitidos aos jovens. É neste âmbito que a Intrum Justitia está a desenvolver alguns projetos que permitam aos alunos ter acesso a lições interativas sobre economia doméstica”, conclui o responsável.